Dia Mundial do Professor 2020

28.09.2020

Mais informação aqui.

Cantemos e Sentemo-nos à Mesa

08.09.2020

Volta e meia, o meu aniversário coincide com a Festa do Avante! Há uns anos, um amigo (que não é militante do PCP) disse-me a rir-se que o partido se tinha excedido no festejo. Se é verdade que a Festa não é feita para mim nesse dia, também é, porque é feita por nós para todas pessoas que desejam uma vida melhor e que querem vivê-la. E a verdade é que nunca gostei tanto de celebrar o meu aniversário como ali, naquela terra sem amos que celebra a vida fraterna e unida, o seu potencial transformador, um projecto feito realidade. No meio de tudo isso, há camaradas que contam mais um ano. Cantemos e sentemo-nos à mesa.

Communists Serve

02.09.2020

Is he who does not engage with the masses a communist? By no means. Uniting with the masses and coming to understand their positions, their needs, and their material conditions is the heart of communism. The ivory tower Marxists who insulate themselves from the masses cannot do the work required to bring about socialist construction. Communism does not mean to lead the people, but to serve them; communists do not command the people, but merely help the people find their own strength.

A ‘communist’ divorced from mass work is little better than a communist without a party at all. It is from these so-called communists, these Marxists-in-theory, that petit-bourgeois opportunism most commonly springs. Being divorced from the people, these Marxists are doomed either to commit the two cardinal errors of commandism or tailism. Those who refuse (through ignorance, classism, or for any other reason) to join the people and do mass work will be prone either to demanding the masses catch up to their own level of development (commandism) or else forever trailing behind the masses and only taking up the banner of struggles that are no longer the progressive forefront of class consciousness (tailism).

JOSH ZOLOTIN, “The Empire and the General Strike”

Prova de Fogo

02.09.2020

No meio disto tudo, é de assinalar que a insanidade não atingiu toda a gente. Há muito que a discussão em torno da Festa do Avante! deixou de ser sobre saúde pública, um valor que o PCP tem defendido com toda a força, e passou a ser um ataque cerrado, uma perseguição política que não esconde um laivo de irracionalidade. Mesmo com um plano de contingência detalhado, elaborado de acordo com as orientações da Direcção Geral de Saúde, o seu parecer técnico, e as reuniões de trabalho realizadas com o PCP, a ofensiva continua. A divulgação desse plano não foi exigida a mais nenhuma entidade, nomeadamente à Igreja Católica que organizou muito bem, como seria de esperar, o fecho da Peregrinação Internacional Aniversária de Agosto no Santuário de Fátima, com vários milhares de peregrinos, alguns deles vindos do estrangeiro. Estamos habituados a provas de fogo. E vamos superar mais esta.

A Fogueira dos Anti-Democratas

31.08.2020

A direita com a violência no sangue, saudosa da ditadura, aquela que foi contra o 25 de Abril e os seus avanços revolucionários nos planos económico, político, social, e cultural, agora não ataca e incendeia centros de trabalho, não põe bombas: quer queimar o Partido Comunista Português vivo em praça pública. Os anos passam e o plano continua, adormecido — neste momento, acordado. Era preciso ter defendido Abril, retomado o seu caminho progressista, para que essa ideologia nefasta fosse desaparecendo. Os anti-democratas sabem sempre quem lhes pode fazer frente.

Promover a Ignorância e a Mentira

31.08.2020

É assustador o modo como o comentário e a opinião de gente apresentada como respeitada e respeitável promove a ignorância e a mentira, na generalidade com um claro sentido ideológico. Pensamento crítico, precisa-se, e abundam recursos rigorosos para o suportar com solidez. Ontem, Paulo Portas disse na TVI, com a sua habitual convicção encenada, que a Líbia nunca foi um verdadeiro país, nem constituição tinha. A primeira constituição data de 1951, dois meses antes da declaração formal de independência do Império Italiano. A segunda constituição data de 1969, depois do derrube da monarquia e da expulsão dos militares britânicos e estado-unidenses.

Retórica Populista

25.08.2020

Sobre os últimos comentários de Rui Rio em torno da Festa do Avante!, não valerá a pena dizer muito tendo em conta a retórica populista. Mas já que ele fala tanto em democracia, lembro o seguinte: a proposta de lei sobre “festivais e espectáculos de natureza análoga” que permite a realização deste evento foi aprovada na Assembleia da República em Maio com votos a favor do PSD e sem um único voto contra. Os factos estão neste artigo.

A Factura

20.08.2020

A perda de emprego continua a aumentar e tão cedo não vai parar. Não foram tomadas medidas de política económica que estancassem este processo. Pelo contrário. Primeiro veio o lay-off simplificado à medida das grandes empresas lucrativas. Agora vem a possibilidade de “rescisão por mútuo acordo” para as mesmíssimas empresas que vai engrossar o desemprego galopante e permitir a manutenção ajustada dos lucros. É a consequência da pandemia? Não. É o capitalismo a fazer o jogo de sempre contra a classe trabalhadora, criando uma massa de desempregados obrigada a aceitar a precariedade, a perda de direitos, e a diminuição dos salários. À luta!

Pleonasmo e Falsas Demarcações

20.08.2020

É curiosa a insistência no pleonasmo como correspondendo à expressão correcta, mas cujo efeito é produzir falsas demarcações. Nesse aspecto, “racismo estrutural” é semelhante a “religião organizada”. O racismo como fenómeno social é, por definição, estrutural. A religião como sistema de doutrinas e práticas é, por definição, organizada.

Avante!

17.08.2020

Houve gente genuinamente apreensiva em relação à possibilidade da realização da Festa do Avante! este ano. Sobretudo naquele tempo de incerteza em que não se sabia se haveria condições para a fazer, no período de resposta inicial à pandemia. Depois, souberam de todas as medidas sanitárias adoptadas, cumprindo as orientações das autoridades de saúde. Entretanto, as garantias sairam reforçadas. Foram também vendo as iniciativas culturais, as idas à praia, as celebrações religiosas que estão a acontecer um pouco por todo o país, algumas com grande dimensão. Portugal aprende a viver com o vírus sem abdicar dos cuidados adequados. Há, no entanto, quem critique e ataque sem ter informação ou simplesmente ignorando-a. Para essas pessoas, não há soluções possíveis que adaptem a Festa a estes tempos. No fundo, a única solução era não a realizar. Assim se percebe o viés dessas críticas e ataques.